Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
17-10-2017 | 06:34
AGRICULTURA06/07/2016 às 14:00

Lançada Central de Frigoríficos no oeste catarinense

Lançada Central de Frigoríficos no oeste catarinense
Foto:Central de frigoríficos foi apresentada à imprensa

A Associação de Agroindústrias Alimentícias de Santa Catarina (ASAASC), proprietária da marca SABORENSE, foi lançada na última sexta-feira (1º) com coletiva à imprensa na ACIC e ato festivo, na Churrascaria Nativa, em Chapecó. Desenvolvida com apoio do Sebrae/SC e do Instituto Nacional da Carne Suína (INCS), a Central de Negócios uniu 15 pequenos frigoríficos do grande oeste catarinense, que juntos faturam mais de R$ 50 milhões ao ano. Os eventos contaram com a presença de autoridades políticas, lideranças empresariais, consultores, empresários e imprensa.

O diretor técnico do Sebrae/SC, Anacleto Angelo Ortigara, destacou que a  iniciativa é tão relevante que está integrada com a vocação da região oeste de produzir proteína animal em busca de soluções inteligentes e criar um fator de competitividade que realmente possa sustentar os negócios. Segundo ele, a ideia é que a central, permita não somente negócios com compras e vendas, mas que seja um ponto de convergência. “O Sebrae/SC cumpre o seu papel fazendo a metodologia funcionar num grupo de pessoas que se beneficia desse processo e a central de negócios é, sim, o encontro da metodologia com a vontade sustentada pela confiança desenvolvida pelas pessoas que participam”.

O presidente do INCS, Wolmir de Souza, ressaltou que a rede, inicialmente, é formada por frigoríficos que abatem suínos, bovinos e ovinos, mas que o foco, segundo o estatuto, é trabalhar com agroindústrias que processam produtos de origem animal, ampliando para leite, aves e outros. “Com a central, deixamos de ser muitos para sermos um. Percebemos que os problemas individuais são os mesmos na maioria das indústrias, porém, eram discutidos de forma individual e, a partir de agora, passam a ser debatidos e avaliados de forma coletiva.O consumidor terá acesso a pequenas marcas, porém com o mesmo grau de responsabilidade técnica e econômica, de bem-estar animal e segurança alimentar existentes nas grandes indústrias”.

Souza destacou, ainda que a central, resulta de 18 meses de trabalho e estudos para  padronização dos produtos e processos e de uma campanha de marketing. “Começamos quebrando paradigmas da individualidade dessas empresas, passando para uma padronização de produtos e processos e comercialização logo no final para que o consumidor possa perceber pequenas marcas como uma grande marca e um grande produto”. 

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, realçou que a criação da central mostra que é possível remodelar os negócios diante os desafios impostos pela crise econômica. “Sabemos que existem passos importantes pela frente e esse novo modelo tem como objetivo cooperar para competir. Esta metodologia é pioneira no país na área de suínos e tenho certeza que teremos novas adesões em breve, pois a iniciativa melhora o poder de compras dos frigoríficos, dissemina melhores práticas,  compartilha recursos de infraestrutura e combina competências, elevando seu grau de sustentação e de competitividade”.

O vice-presidente da ASAASC e empresário que faz parte da associação, Cleber Scalco, enfatizou a importância dos 18 meses de parceria com o Sebrae/SC e o INCS para a estruturação da Central de Negócios. Destacou a confiança adquirida entre os integrantes do grupo para a união e, consequentemente, para a conquista: “Estamos muito bem acompanhados e assessorados, agrademos a parceria das duas entidades e a todos que acreditaram nessa ideia que nos trará importantes resultados”.     

O empresário Flavio Pasquali, presidente do Conselho Consultivo da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), é um dos fornecedores da Saborense.“O principal objetivo dessa parceria é proporcionar ferramentas para que diversas pequenas empresas tenham a capacidade competir no grande mercado para obter maior capacidade de venda e de produção”.

ASSOCIATIVISMO

O associado da ASAASC e proprietário da Bisol Alimentos, Adair José Bisol, comentou que os pequenos empreendedores vinham tendo dificuldades para competir com empresas maiores pela questão dos preços e pela logística. A Bisol Alimentos tem a sua sede no município de General Carneiro, no Paraná, e produz salames, linguiças para espeto, copa, bacon e torresmo. A estrutura é formada por 19 funcionários sendo que quatro deles são familiares, o que é motivo de orgulho para o proprietário. “Sou de família muito humilde e hoje consegui trazer meu pai e mais dois irmãos para trabalhar comigo. Foi uma grande conquista, com certeza”.

Outra empresa associada é o Frigorífico Santa Fé que iniciou as suas atividades no ano de 1991 e hoje conta com 10 empregados. O proprietário Antônio Eidt se sente seguro ao saber que agora tem parceiros. “Vejo que a maioria dos empresários tem as mesmas dificuldades. Estamos buscando resolver certos problemas que enfrentamos no dia a dia e avalio essa situação com bons olhos. Precisamos nos unir e criar forças. Fico feliz em perceber que o pensamento coletivo ficou acima do interesse pessoal de cada um. Isso que realmente é ser parte de uma associação”, finalizou.

ESTRUTURA DA CENTRAL DE NEGÓCIOS

A Associação de Agroindústrias Alimentícias de Santa Catarina (ASAASC) está sediada no município de Concórdia e tem como principal objetivo centralizar os pedidos de compras dos associados e, com o aumento de volume, garantir melhores preços.  A estrutura consiste em um Centro de Distribuição onde os produtos adquiridos são faturados diretamente aos associados, sem incremento de valor, o que reduz o custo de frete, pois é utilizado o sistema de transporte das próprias agroindústrias.  As principais vantagens incluem os  ganhos a partir da diminuição dos custos operacionais com insumos e equipamentos, a cooperação entre os empresários com troca de experiências e negociações entre si, a discussão e participação em conjunto da busca por oportunidades e superações de dificuldades, formando um grupo político e economicamente  forte e representativo.

Segundo Souza, o grande diferencial, além do ganho econômico individual que fica na média de 18%, é o fato de o atendimento aos fornecedores ser realizado num único local, aumentando o tempo que os associados podem dedicar às suas empresas.

FRIGORIFICOS ASSOCIADOS

Os frigoríficos associados são: Frigorífico  Santa Fé, Itapitanga; Frigorífico  Samar, São João do Oeste;   Frigorífico Cedro Frigor, São José do Cedro; Letavo Alimentos, Guaraciaba; Frigorífico Santin, Quilombo; Frigorífico Lussisa, Chapecó; Bisol Alimentos, Irani; Friprando, Jaborá; Frigorífico Mattei, Concórdia; Frigorífico Loss, Lindóia do Sul; Frigorífico Helbing, Ipumirim; Frigorífico Arabutã, Arabutã; MSM Alimentos, Seara; Frigolaste, Seara; e Sol Alimentos, Itá.

Fonte: MB Comunicação Empresarial

Comentários
Publicidade
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui