Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
16-01-2018 | 07:49
EDUCAÇÃO18/12/2017 às 09:00

Joaçabense recebe em Brasília Prêmio MPT na Escola

Joaçabense recebe em Brasília Prêmio MPT na Escola
Foto:Divulgação

Em cerimônia realizada no último dia 11, no auditório da Procuradoria Geral do Trabalho, em Brasília, estudantes, educadores, Procuradores do Trabalho, Ministros do Tribunal Superior do Trabalho e outras autoridades reuniram-se para a realização da premiação dos vencedores da etapa nacional do MPT na Escola.

O projeto MPT na Escola tem por objetivo fomentar a participação de crianças e adolescentes nas ações de mobilização, conscientização e prevenção do trabalho infantil;  conscientizar as famílias sobre os malefícios do trabalho infantil; fortalecer o sistema de garantia de direitos das crianças e dos adolescentes; e, especialmente, reconhecer e divulgar tanto os melhores trabalhos produzidos pelos alunos quanto a dedicação dos educadores envolvidos nas ações de prevenções à violação dos direitos de crianças e adolescentes.

Em Santa Catarina, 1.293 trabalhos disputaram a etapa estadual. As inscrições foram feitas a partir da capacitação de educadoras de escolas públicas dos municípios de Joaçaba e Videira pelo Ministério Público do Trabalho, no primeiro semestre de 2017. Após tomarem conhecimento da importância da erradicação da exploração do trabalho infantil e do Projeto do MPT na Escola, o tema foi abordado em sala de aula com as alunas e os alunos, que desenvolveram os trabalhos.

Destes trabalhos, cinco conquistaram colocações de destaque na etapa nacional do prêmio MPT na Escola: Na categoria curta-metragem, as estudantes Amanda Cristina dos Santos e Sofia Gabriela Huf da Escola Nossa Senhora de Lurdes, de Joaçaba, conquistaram a 5ª colocação, com o filme "Trabalho Infantil, um crime contra a vida".  Na categoria desenho, o aluno Guilherme Fabiano Oliveira da Costa, da Escola Frida Regensburger, de Joaçaba, conquistou o 5º lugar com o trabalho "Os meninos sonhadores". Na categoria conto, a aluna Sofia Gabriela Huf, da Escola Nossa Senhora de Lurdes,  ficou em 3º lugar com o trabalho "O condomínio que não se desenvolvia". Na categoria poesia, a estudante Franciely Deitos, do Núcleo Pedagógico Rural de Joaçaba, atingiu o 6º lugar. Na categoria música, as estudantes Teodora Bonatto, Gabriela Shultz,  Amanda Feldrin e Ana Oliveira, da Escola Esther Crema Marmentini, de Videira, conquistaram a 8ª colocação. 

Conforme o regulamento do projeto nacional, aqueles que atingissem as cinco primeiras colocações receberam uma compensação financeira pelos trabalhos desenvolvidos, tendo sido destinados R$ 240.000,00 ao total. Assim, os trabalhos elaborados pelos catarinenses receberam o valor total de R$ 16.000,00 (R$ 8.000,00 para 3º lugar e R$ 4.000,00 para 5º lugar). O valor de cada prêmio será dividido entre os(as) alunos(as), professores(as), coordenadores(as) do projeto na escola e coordenadores(as) municipais do projeto.

Por ter alcançado o 3º lugar na categoria conto e também o 5º lugar na categoria curta-metragem, a aluna Sofia Gabriela Huf, do quinto ano da Escola Nossa Senhora de Lurdes de Joaçaba, teve sua ida à Brasília custeada pela Procuradoria do Trabalho no Município de Joaçaba para receber o prêmio, acompanhada de sua mãe, Ruth Vartha Huf; da coordenadora municipal do Projeto em Joaçaba e diretora da Escola, Elizalda Casagrande; e da coordenadora pedagógica da Escola, Marivete Pires.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários
Publicidade
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui