Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
19-06-2019 | 10:19
SAÚDE31/05/2013 às 08:47

Dia Mundial sem Tabaco: alerta é para o cuidado com crianças e adolescentes

A proibição total da publicidade, promoção e patrocínio do tabaco é o tema deste ano do Dia Mundial Sem Tabaco, lembrado nesta sexta-feira 31 de maio. O objetivo da campanha é alertar a população e chamar atenção da opinião pública a respeito da iniciação de crianças e adolescentes ao uso do tabaco.

A oncologista do Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon) Senen Hauff alerta que o importante é conscientizar a população da estratégia das empresas de tabaco, que criam atrativos como cigarros com sabores e pontos de venda em frente às escolas. “Não é justo focar nas crianças, consideradas o ‘mercado de amanhã’. Os pais cuidam, alimentam, vacinam, protegem, mandam pra escola e a criança cresce saudável. Aí chega a adolescência e, se aproveitando da fragilidade desta fase, a indústria de cigarros foca neste alvo fácil. Manipulados pela propaganda nos milhares de pontos de venda, os adolescentes podem cair na armadilha. E quando a dependência química se instala, fica mais difícil sair dessa”, alerta a médica.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (Pense), 23% dos estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental de Florianópolis, na faixa etária de 13 a 15 anos, já experimentaram cigarro alguma vez na vida. A maioria desses jovens estuda em escolas públicas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) propôs o tema para que, além de alertar para os riscos à saúde associados ao tabagismo, a sociedade se mobilize para adotar medidas efetivas de redução da produção e consumo de fumo. Segundo informações da OMS, a epidemia global do tabaco leva a óbito seis milhões de pessoas todos os anos. Destas, 600 mil são fumantes passivos, ou seja, pessoas que não fumam, mas respiram a fumaça de cigarro de fumantes.

No Brasil, a Lei de Ambiente Livre, que proíbe fumar em recintos coletivos fechados, privados ou públicos, vigora desde 2011 e, conforme avalia o secretário de Estado da Saúde, Dalmo Claro de Oliveira, representa um importante avanço na política nacional de controle do tabagismo. “Estas são formas legais encontradas pelo poder público de proteger a população contra os danos à saúde decorrentes da exposição à fumaça ambiental do tabaco”, acrescenta o secretário. O tabaco possui mais de 4,7 mil substâncias tóxicas.


Fonte: Assessoria

Tags
Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui