Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
22-06-2018 | 04:20
ESTADO06/03/2018 às 10:00

Movimento quer que SC seja reconhecida "berço da colonização italiana"

Movimento quer que SC seja reconhecida
Foto:Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

Qual o primeiro núcleo da colonização italiana no Brasil: a cidade capixaba de Santa Teresa ou a catarinense São João Batista? Enquanto a primeira já é reconhecida por lei federal (nº 13.617 de 2018), pesquisadores do estado querem provar que o título deve pertencer, por direito, ao município do Vale do Rio Tijucas.

Para tanto, o grupo, acrescido de lideranças políticas catarinenses, reuniu-se na manhã desta segunda-feira (5) na sede do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (IHGSC), em Florianópolis, para articular uma mobilização no Congresso Nacional.

Conforme levantamento feito pelo historiador Paulo Vendelino Kons, a Colônia Nova Itália, em São João Batista, teria sido do formada em 1836, por 132 imigrantes vindos do Reino da Sardenha - atualmente uma região autônoma italiana. O fato teria ocorrido, portanto, 39 anos antes da fundação de Santa Teresa, que segundo os registros oficiais, aconteceu em 1875.

Kons, que coordena o movimento em prol de São João Batista, espera agora contar com o apoio da bancada catarinense em Brasília para a reparação do equívoco. “O Congresso Nacional, da mesma forma que aprovou esse erro histórico, pelos mesmos caminhos deve agora corrigi-lo e, enfim, reafirmar o que de fato aconteceu.”

Se depender do deputado federal João Paulo Kleinübing (PSD-SC), que atualmente coordena o Fórum Parlamentar Catarinense, o assunto deve ser colocado em pauta nos meios políticos nacionais já a partir desta semana. “Já temos um projeto de lei pronto e vamos protocolá-lo ainda nesta semana. Queremos contar com as assinaturas de todos os 19 parlamentares catarinenses  para demonstrar a unidade da bancada com relação a esse assunto e o interesse da comunidade em resolver esse erro histórico que foi provocado no passado.”

Presentes ao evento, os senadores Esperidião Amin (PP-SC) e Darílio Beber (PSDB-SC) adiantaram apoio ao pleito batistense. “Esta questão pode ser controversa para alguns historiadores, mas o fato inconteste é que São João Batista é o berço nacional daquilo que se chama povo da Itália e, na minha opinião, nós temos que defender esse direito histórico, esse resgate da memória”, disse Amin. “Talvez não seja fácil conseguir a alteração do erro, mas como existem registros do estabelecimento destas famílias italianas aqui no estado, nós catarinenses, que conhecemos a história, temos o dever de lutar para restabelecer a verdade”, completou Beber.

Outro apoiador da causa é o ex-deputado Altair Silva (PP), que durante seu período de suplência na Assembleia Legislativa, protocolou um projeto visando reconhecer o pionerismo da Colônia Nova Itália.  A matéria, que tramita sob a forma do PL 20/2018, já recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição e Justiça e será analisada pela Comissão de Educação, Cultura e Desporto antes de ser votada no plenário da Casa. “Estamos buscando a parceria com os deputados para que este projeto possa tramitar o mais rápido possível e servir de reforço à demanda catarinense em nível nacional”, disse.

Fonte: Agência AL

Comentários
Publicidade
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui