Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
15-09-2019 | 07:59
19/06/2013 às 09:26

Projeto da Rede Cegonha é aprovado na macrorregião Meio-Oeste

O plano de ação para a implantação da Rede Cegonha da Macrorregião Meio-Oeste foi apresentado, nesta terça-feira, 18, em Herval d’ Oeste, para gestores municipais de Saúde, prestadores e técnicos das Secretarias de Saúde de 55 municípios de abrangência das Secretarias de Desenvolvimento Regional de Joaçaba, Campos Novos, Caçador, Curitibanos, Concórdia, Videira e Seara. O projeto também foi apreciado e aprovado pelas Comissões Intergestores Regionais (CIRs) das regiões de saúde do Alto Vale do Rio do Peixe, Uruguai Catarinense e Meio-Oeste.

Até sexta-feira, 21, o projeto será encaminhado à Secretaria de Estado da Saúde (SES). Na sequência, a proposta será levada ao conhecimento e análise do Ministério da Saúde (MS). Se estiver dentro das exigências, será enviada à câmara técnica para posterior aprovação na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), prevista para o mês de julho. “Depois de aprovado na CIB, o projeto é novamente encaminhado ao MS, para então ser publicada a portaria que habilita os serviços”, explica a coordenadora do grupo condutor das Redes, gerente de Saúde da Regional de Joaçaba, Ivanice Peccin.

            A partir da habilitação dos serviços, todos os hospitais que hoje realizam partos de risco habitual podem encaminhar projetos ao Ministério da Saúde para ampliação, adequação ou reforma da unidade. Já os hospitais referência receberão recursos para habilitar maternidades para o atendimento ao pré-natal de alto risco, qualificação das UTIs neonatais, de leitos de cuidados intermediários e criação de leitos canguru. O Hospital São Francisco, de Concórdia, será referência para as regiões de saúde do Meio-Oeste e Alto Uruguai Catarinense. Já o Hospital Hélio Anjos Ortiz, de Curitibanos, será referência para a região de saúde do Alto Vale do Rio do Peixe.

Cada região de saúde com mais de 100 mil habitantes também poderá ter uma Casa de Parto, para a realização de, no mínimo, 40 partos por mês, com custeio mensal do Ministério da Saúde de R$ 80 mil. “Com a implantação da Rede Cegonha na macrorregião e a habilitação das Casas de Parto, o atendimento será humanizado, com classificação de risco. A referência passa a ter uma distância de no máximo 80 quilômetros, com mãe e bebê recebendo atendimento na mesma unidade. Hoje, a referência em gestação de alto risco para a região Meio-Oeste é o Hospital Carmela Dutra, em Florianópolis”, ressalta Ivanice.

A Rede Cegonha é a segunda desenhada na macrorregião Meio-Oeste. A primeira foi a Rede de Urgência e Emergência, que será apresentada à CIB nesta quinta-feira (20), em Florianópolis. “É um grande avanço para a macrorregião. São propostas para melhorar a qualidade de vida da população”, destaca o secretário de Desenvolvimento Regional de Joaçaba, Ricardo Grando, que participou do evento em Herval d’ Oeste.

Saiba mais

A Rede Cegonha é uma estratégia do Ministério da Saúde, operacionalizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e fundamentada nos princípios da humanização e assistência, assegurando: às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério; e às crianças o direito ao nascimento seguro, crescimento e desenvolvimento saudáveis.

A Rede tem como objetivos um novo modelo de atenção ao parto, nascimento e à saúde da criança, que garanta acesso, acolhimento e resolutividade, além da redução da mortalidade materna e neonatal. No Estado, a Grande Florianópolis e a região Norte/Nordeste já contam com a Rede Cegonha.

Fonte: Mayelle Hall/SDR

Comentários
+ Notícias
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui