Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
20-06-2019 | 07:11
HERVAL D´OESTE15/10/2013 às 10:31

Vereadores querem informações sobre imóveis doados à empresas em Herval d´Oeste

Vereadores querem informações sobre imóveis doados à empresas em Herval d´Oeste
Foto:Sessão: 14/10/2013

A Câmara de Vereadores de Herval d´Oeste realizou na noite desta segunda-feira (14) a segunda sessão ordinária do mês de outubro. No encontro, foi aprovada a indicação 0155/2014 de autoria do vereador Davi Frozza (PSD), que pede pavimentação asfáltica na Rua Agostinho Prando no bairro Santo Antônio; um requerimento e uma moção de aplauso ao Dia do professor, proposta pelos vereadores Leonardo Mascarello (PSD) e Gilmar Dri (PSD). “É uma homenagem também aos bons índices conquistados pelo município nos últimos anos que representam o esforço da nossa educação na busca pela qualidade” justificou Dri. “Sabemos da importância deste profissional que é responsável pela educação de nossas crianças que hoje passam a maior parte do seu tempo nas escolas” acrescentou Mascarello ao parabenizar os profissionais pela passagem do seu dia.

O requerimento 058/2013, elaborado pelos vereadores Davi Frozza (PSD), Leonardo Mascarello (PSD) e Tomaz Conrado (PMDB), pede informações do executivo quanto aos imóveis do município doados à empresas desde o ano de 1991. “Estamos exercendo nosso papel de fiscalizar” disse Tomaz ao explicar que a intenção é ter conhecimento se as empresas que foram contempladas realmente se instalaram no município. “Existe uma clausula que estabelece prazo. Se caso não foi cumprida, que os imóveis retornem ao patrimônio público novamente” defendeu. “Sabemos que pessoas importantes do nosso município de apropriaram de imóveis e que até hoje as empresas não existem” denunciou Mascarello.

O presidente do legislativo Gilmar Dri usou o momento da presidência para parabenizar as pessoas que participaram da sessão no último dia 07, quando houve o protesto quanto ao aumento no IPTU e, pediu desculpas às pessoas que se sentiram ofendidas por terem que deixar a casa por não estarem vestidas adequadamente, e também por não terem direito de se manifestar. “O Regimento Interno existe há muitos anos e não fui eu que o fiz, mas como presidente do Legislativo me cabe cumpri-lo” explicou Dri ao ler o Artigo 98 do Regimento Interno. “Parágrafo 3º destaca: Qualquer cidadão poderá assistir às reuniões, ordinárias, extraordinárias, solenes e de instalação de Legislatura, na parte do recinto reservada ao público, desde que: apresente-se convenientemente trajado; não portar armas; que mantenha-se em silêncio durante os trabalhos; não manifeste apoio ou desaprovação ao que se passa no Plenário; atenda às determinações do presidente e não fumar”.

Puxão de orelhas

O presidente aproveitou também para chamar a atenção dos vereadores para o cumprimento do Regimento Interno durante as explicações pessoais. “Solicito que os vereadores tenham mais cautela em seus pronunciamentos, respeitando a posição dos demais” cobrou Dri nitidamente incomodado com a repercussão nas redes sociais do episódio envolvendo os vereadores Jean Patrick Giusti (PSDB) e Tomaz Conrado (PMDB).  

Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui