Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
21-10-2019 | 01:06
GERAL31/08/2016 às 13:45

Impeachment: senadores cassam mandato de Dilma Rousseff

Impeachment: senadores cassam mandato de Dilma Rousseff
Foto:Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff (PT), afastada do cargo desde maio, foi condenada nesta quarta-feira (31) pelo Senado no processo de impeachment por ter cometido crimes de responsabilidade na condução financeira do governo. O impeachment foi aprovado por 61 votos a favor e 20 contra. Não houve abstenções.

Apesar de aprovar o impeachment, o Senado manteve os direitos políticos de Dilma. Foram 42 votos a favor da inabilitação da petista, 36 contrários e três abstenções. Para que ela perdesse os direitos, também eram necessários 54 votos.

Dilma deve ter 30 dias para o Palácio da Alvorada e manterá benefícios destinados a ex-presidentes, como o direito a utilizar funcionários públicos.

Posse de Temer

Quase três horas após o fim do julgamento do processo de impeachment, o ex-vice-presidente e até então presidente interino Michel Temer (PMDB) tomou posse de forma definitiva da Presidência da República em cerimônia no Congresso Nacional.

Em sua primeira fala após assumir em definitivo a presidência, Michel Temer colocou a geração de empregos como primeira tarefa de seu mandato. Segundo ele, o momento é de "colocar o Brasil nos trilhos em todas as áreas". Temer cobrou dos ministros a criação de grupos para "desburocratizar" a ação das pastas. O novo presidente afirmou também que sua "fórmula de governar é da descentralização da ação, sem abrir mão da centralização da decisão". Temer, que não discursou no Congresso, falou em reunião ministerial no Planalto logo após a posse.

O presidente também pediu aos ministros que ajudem a aprovar projetos do ajuste fiscal. "A reforma do teto de gastos é fundamental para o país. Às vezes mal compreendida", disse. O presidente também pediu que comunicação do governo faça uma publicidade da reforma da Previdência para que a população a entenda. Ele diz que irá reunir as bancadas dos partidos uma a uma para esclarecer dúvidas e sensibilizar para aprovar o teto dos gastos e a reforma da previdência.

Temer também rebateu as acusações de que seria "golpista". "E, no mais, contestar a partir de agora essa coisa de golpista. Dizer: golpista é você, que está contra a Constituição. Nós não propomos a ruptura constitucional, nós tivemos discrição absoluta. Jamais retrucamos palavras, imprecações em relação à nossa conduta", declarou.

Fonte: UOL

Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui