Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
15-08-2020 | 03:52
JOAÇABA27/01/2014 às 18:30

O dia em que Joaçaba sucumbiu à chuva

Cerca de 300 pessoas trabalharam no sábado para contornar o problema causado pela forte chuva
O dia em que Joaçaba sucumbiu à chuva
Foto:Belotto e Geovana Padilha, Bolinha e Jair Schüller

O grande volume de água em um curto espaço de tempo, e os entulhos deixados por alguns moradores que realizam construções, foram os motivos do caos causado pela forte chuva que alagou ruas e invadiu casas no último sábado (25) em Joaçaba. A explicação é do secretário de infraestrutura Venilton Telles. “Infelizmente muitos não tomam os cuidados necessários com os materiais de construção” advertiu.

Foram horas e horas de trabalho que chegou a envolver cerca de 300 pessoas, entre bombeiros, policiais militares, detentos do presídio, funcionários do plantão e outros servidores que tiveram as férias interrompidas. “Só conseguimos contornar a situação porque a população pegou junto” agradeceu. “Eu nunca tinha visto uma mobilização assim”, acrescentou o secretário, informando que em todos os locais atingidos, os moradores pegaram ferramentas e colaboraram, mesmo debaixo de chuva, com a desobstrução das vias.

De acordo com Venilton, no caso do bairro Tobias, a capacidade de escoamento da Rua Almirante Barroso não conseguiu dar vazão ao grande volume de água devido a entulhos que entupiram a tubulação da Rua Ana Blumberg. “Com a enxurrada, desceu todo o entulho por cima da rua, arrastando também terra e pedras que causaram o impacto”, disse Venilton. Dentre os materiais ele destacou que havia sofá velho, garrafas pet, pneus de caminhão, tampa de fogão, piscina inflável e até palanques com arame farpado de uma roçada que foi realizada no local.

“Esse problema não foi verificado das outras vezes porque não tivemos um volume tão intenso de chuva em um curto espaço de tempo, e nossa topografia é acentuada. Pra se ter uma ideia, a água que desce dos bairros da cidade alta desemboca na Rua Amiano Pozzobon, próximo ao almoxarifado da Celesc. E desta vez ela não encontrou vazão”, explicou.

Deslizamentos foram constatados em grande parte da cidade, porém mais acentuado no bairro Santa Tereza e Vila Cordazzo. Houve desmoronamento de uma piscina na Rua Antônio Nunes Varela na Vila Pedrini e na Rua Frei Silvério Weber, bairro Santa Tereza, um muro de contenção desceu sobre outra residência.

Os prejuízos ainda estão sendo levantados pela defesa civil. A secretaria de infraestrutura removeu as pessoas dos locais de risco e disponibilizou lonas para os atingidos.  “Temos trabalho para os próximos 60 dias, pois são mais de 70 bocas de lobo para desentupir, e a cada pouco chega uma nova situação”, relatou o secretário.

Video
Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui