Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
21-10-2019 | 01:18
JOAÇABA31/07/2015 às 11:30

Remanejamento de recursos para pagar folha dos professores

Remanejamento de recursos para pagar folha dos professores
Foto:Câmara de Vereadores de Joaçaba

Em sessão extraordinária na tarde da última quarta-feira (29), os vereadores do Legislativo joaçabense aprovaram o projeto de lei 3.380 que dispõe sobre remanejamento de valores de diversas pastas e diretorias do Poder Executivo. O remanejamento no valor de R$ 2.068,063 foi destinado à folha de pagamento dos servidores da Secretaria de Educação da rede municipal neste mês de julho.

De acordo com o presidente da Câmara, Luiz Vastres, o projeto só foi votado após uma reunião entre vereadores e secretários, ocorrida na tarde de quarta-feira, quando, ficou evidente que caso o projeto não fosse aprovado, haveria risco de que os servidores da pasta não recebessem seus salários neste mês devido a um déficit orçamentário na Secretaria da Educação. O projeto recebeu oito votos favoráveis e um contrário.

“O ajuste das contas públicas é natural. Porém, o que nos chama a atenção é que isso normalmente ocorre no final do ano e estamos apenas em julho. Felizmente a maioria dos vereadores entendeu que os professores não podem ser penalizados e votou favorável. Para este mês a situação está resolvida. Acredito que o Poder Executivo buscará alternativas para os próximos meses e nós, vereadores, estaremos acompanhando de perto esta situação”, disse o presidente Vastres.

Manifestação dos vereadores:

Chico Lopes: o vereador afirmou que faltou planejamento e que medidas de contenção de gastos deveriam ter sido implantadas ainda em janeiro. “Só estou votando favorável porque não posso aceitar que professores fiquem sem receber seus salários”.

Zilio: Vilmar Zílio disse que os reajustes dados a categoria no início do ano estão causando impacto financeiro. “Concordo com os reajustes, mas faltou análise mais profunda e planejamento. Após as explicações dadas pelo Executivo, não nos resta alternativa senão votar a favor. Até porque, o secretário de Educação não tinha conhecimento do impacto financeiro por não ser ordenador de despesas”.   

Éber: o vereador ponderou que não houve queda na arrecadação no município neste mês. Que é preciso descobrir a origem da crise e também que o ideal é buscar alternativas, cortar gastos excessivos sem que seja necessário fazer demissões.

Pastori: o vereador votou contra o projeto. Disse que gostaria que ele tivesse sido alterado, pois não concorda com alguns quesitos. Ele sugeriu que o Executivo paralise algumas obras ao invés de retirar recursos de pastas e diretorias para ações que já estavam previstas.

Elói: para Elói Hoffelder os gestores terão que buscar maneiras de se adaptar a crise. Ele citou exemplos de municípios vizinhos que já anunciaram o corte de gastos. Disse que o Poder Legislativo fez muito bem em convocar o Executivo para explicar melhor o projeto e que o cenário econômico brasileiro deverá piorar ainda mais.

Ferraz: Jucelino Ferraz lamentou o corte do orçamento de algumas pastas. Há quanto tempo pedimos melhorias para o cemitério municipal? Agora a verba prevista para isso será relocada. Porém, não podemos prejudicar os servidores da educação.  

Tuti: ele também elogiou a medida da Câmara em convocar o Executivo para discutir o projeto. Disse que ao retirar o orçamento de algumas pastas as obras e ações solicitadas pelos vereadores serão prejudicadas. “Espero que este quadro seja revertido em breve”.   

Diva: a vereadora Divair De Marco disse que os vereadores defendem o povo, portanto, votaram a favor do projeto. “No momento, esta foi a alternativa encontrada. Acredito que esta situação será revertida e que os valores remanejados possam retornar as pastas de origem”.

Fonte: Adriana Panizzi/Assessoria

Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui