Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
31-05-2020 | 12:11
POLÍCIA10/09/2015 às 16:00

Golpistas cobravam para quebrar feitiço de morte

Golpistas cobravam para quebrar feitiço de morte
Foto:Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil de São Joaquim, com apoio das Delegacias de Urubici e de Bom Retiro, prendeu, na quarta-feira, 9, um gaúcho de 25 anos e uma mulher de São Joaquim de 36 anos por associação criminosa e será instaurado inquérito para apurar o crime de estelionato. Ambos foram presos no bairro Subestação, há 3 km do centro de São Joaquim, com a quantia de R$ 45 mil que haviam obtido de uma das famílias vítimas. Somente em uma família a dupla exigiu a quantia de R$ 2.200,00 de cada pessoa para que o feitiço de morte fosse quebrado.

De acordo com a Polícia Civil, eles se passavam por médiuns para aplicar golpe, se ofereciam para quebrar feitiços e vendiam “poções mágicas” para famílias de São Joaquim. Os falsos curandeiros chegavam a utilizar de diversos artifícios para convencer as pessoas a dar o dinheiro para que o feitiço fosse quebrado, caso contrário o feitiço mataria membros da família.

Novo golpe

Além da onda de feitiços e poções mágicas, a dupla inventou que havia um tesouro enterrado na localidade. Algumas pessoas foram levados pelos suspeitos até o local combinado e, após cavarem 30 cm, encontraram um medalhão de ouro enterrado, que provavelmente a dupla teria colocado, fazendo com que as vítimas realmente acreditassem que havia um tesouro. Após isto, fizeram uma espécie de ritual com uma galinha e exigiram das vítimas a quantia de mais de R$ 50 mil para que “os escolhidos” ficassem milionários com o tesouro encontrado.

As vítimas fizeram uma transferência bancária no valor de R$ 95 mil na conta da conduzida de 36 anos, destes R$ 50mil seriam elos trabalhos mágicos, na busca do tesouro e mais R$ 45 mil para custear uma viagem para a Bahia onde o feitiço seria finalmente quebrado. Além disto, os criminosos ainda pediram mais R$ 20 mil, caso o contrário um integrante da família da vítima morreria amaldiçoado por uma entidade maléfica.

Entretanto, na noite de ontem a dupla foi desmascarada pela Polícia Civil que conseguiu recuperar R$ 45mil com os falsos curandeiros.

Ficha criminal

O homem de 25 anos está em liberdade provisória pelo crime de homicídio no Rio Grande do Sul. A mulher tem várias passagens policiais por diversos crimes, entre eles estelionato.

Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui