Apareceu aqui, virou notícia!
(49) 9111 4055
Previsão do Tempo
12-11-2019 | 04:48
POLÍCIA10/09/2015 às 16:00

Golpistas cobravam para quebrar feitiço de morte

Golpistas cobravam para quebrar feitiço de morte
Foto:Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil de São Joaquim, com apoio das Delegacias de Urubici e de Bom Retiro, prendeu, na quarta-feira, 9, um gaúcho de 25 anos e uma mulher de São Joaquim de 36 anos por associação criminosa e será instaurado inquérito para apurar o crime de estelionato. Ambos foram presos no bairro Subestação, há 3 km do centro de São Joaquim, com a quantia de R$ 45 mil que haviam obtido de uma das famílias vítimas. Somente em uma família a dupla exigiu a quantia de R$ 2.200,00 de cada pessoa para que o feitiço de morte fosse quebrado.

De acordo com a Polícia Civil, eles se passavam por médiuns para aplicar golpe, se ofereciam para quebrar feitiços e vendiam “poções mágicas” para famílias de São Joaquim. Os falsos curandeiros chegavam a utilizar de diversos artifícios para convencer as pessoas a dar o dinheiro para que o feitiço fosse quebrado, caso contrário o feitiço mataria membros da família.

Novo golpe

Além da onda de feitiços e poções mágicas, a dupla inventou que havia um tesouro enterrado na localidade. Algumas pessoas foram levados pelos suspeitos até o local combinado e, após cavarem 30 cm, encontraram um medalhão de ouro enterrado, que provavelmente a dupla teria colocado, fazendo com que as vítimas realmente acreditassem que havia um tesouro. Após isto, fizeram uma espécie de ritual com uma galinha e exigiram das vítimas a quantia de mais de R$ 50 mil para que “os escolhidos” ficassem milionários com o tesouro encontrado.

As vítimas fizeram uma transferência bancária no valor de R$ 95 mil na conta da conduzida de 36 anos, destes R$ 50mil seriam elos trabalhos mágicos, na busca do tesouro e mais R$ 45 mil para custear uma viagem para a Bahia onde o feitiço seria finalmente quebrado. Além disto, os criminosos ainda pediram mais R$ 20 mil, caso o contrário um integrante da família da vítima morreria amaldiçoado por uma entidade maléfica.

Entretanto, na noite de ontem a dupla foi desmascarada pela Polícia Civil que conseguiu recuperar R$ 45mil com os falsos curandeiros.

Ficha criminal

O homem de 25 anos está em liberdade provisória pelo crime de homicídio no Rio Grande do Sul. A mulher tem várias passagens policiais por diversos crimes, entre eles estelionato.

Comentários
Publicidade Caitá Supermercados
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui